Trend

Peace, de Paulo Foltz, ganha remix de Ellie Ka

Ellie Ka, americana radicada no Brasil, admiradora do trabalho de Paulo Foltz apresenta seu remix da faixa “Peace”, lançado pela gravadora Prisma Techno.

Ellie Ka, na Infusion, em Santa Maria, 2018.

 

Por: Marina Murad Scalon.

Paz, uma palavra simples, complexa, densa. Simplesmente porque é um sentimento, uma sensação passageira e momentânea como a música. Mas também como qualquer outra emoção é subjetiva e pessoal. A música, aparentemente momentânea é um lugar que pode ser revisitado enquanto as emoções não, mas ambas podem ser retomadas, mas sua experiência nunca será igual.

A faixa “Peace” transmite sim a paz, mas não aquela que o senso comum prega, o da tranquilidade. Mas uma paz que move, que propõe caminhos e muda os cenários sob nossos olhos, ouvidos e todos os demais sentidos.

De início o titulo da faixa remixada por Ellie Ka, fez todo o sentindo; uma atmosfera intensa e acolhedora convidam para a auto percepção. Suave e forte, te carregam para uma jornada de sentimentos primitivos, transcendentais. A voz suave, que se apresenta na metade da música é quase sobrenatural. Como se uma outra faceta de Ellie fosse apresentada. Esse sentimento que se se intensifica ainda mais quando estamos imergidos nessas sensações diversas, históricas. E por isso mesmo é uma paz, porque acolhe ao mesmo tempo que remete a lembranças coletivas, ancestrais. É como se de repente a nossa própria existência encontrasse conforto em sua insignificância.

 

A artista Ellie Ka, lançou recentemente a faixa “03P Hotel” sua primeira música autoral lançada pela Som Livre/ Sub Label Austro Music. Diferente de “Peace” nessa faixa predomina um sentimento mais sombrio, misterioso, mas convidativo e principalmente provocativo. É sexy e perigoso. Tenso e prazeroso. E mais uma vez Ellie consegue expressar emoções que ainda não estão prontas que não são entregues de mão beijada, ela exige que o público interaja. Por isso mesmo é convidativo. E também por isso mesmo, perigoso. Mais uma vez o vocal de Ellie coloca um tom que parece sussurrar segredos capazes de revelar do que se trata tudo aquilo. Dessa vez a voz é doce, sensual e mais uma vez perigosa.

Como todo bom artista, Ellie Ka não se repete, mas isso não implica falta de identidade. Ao contrário, existe uma unidade, a forma em que ela convida e oferece caminhos diversos porque são individuais e por isso mesmo únicos, para cada um. Ellie sabe seus pontos fortes e o uso da sua voz é sempre muito bem utilizado e é um momento de paz, mesmo que não tranquila. O que fica é a vontade de acompanhar o que mais virá, porque de fato é sempre uma surpresa misteriosa e intrigante.

Image may contain: night and text

 

Ellie Ka é norte americana, mas sua mãe é Brasileira. Diferente do que se supõe, Ellie não teve uma influencia significativa da musica brasileira, ao contrário cresceu ao som de Jazz e Blues. A artista passou por diversos países e testemunhou universos culturais distintos. Além disso o próprio cenário musical e artístico proporciona essa troca cultural, global de maneira mais fluida,
pois lida-se com inspiração, estudo e descobertas. Apesar de pensarmos em cultura direcionada à identidade nacional, não podemos esquecer que a música, a pintura, o cinema e os mitos sempre tocaram as pessoas, sejam elas de onde forem. Em um mundo globalizado como o de hoje, não me espanta que Ellie consiga sintetizar essa pluralidade com unidade, com o ser humano, o ser histórico.

 

O álbum foi lançado dia 06 de Dezembro, nas plataformas: Spotify, SoundCloud, Youtube e Itunes.

” Escolhemos as músicas e artistas que gostamos, divulgamos os projetos em que acreditamos. “

A cultura eletrônica e o mundo do entretenimento vistos através de artigos, matérias e entrevistas com artistas, produtores e diversos profissionais chave do Brasil e do Mundo.

TUDOBEATS é uma marca da NZPR.

.

.

Relações Públicas para a Indústria do Entretenimento

 

 



As mais lidas

To Top
Page generated in 1,165 seconds. Stats plugin by www.blog.ca