ESPECIAL

Londrina comemora 6 anos da Culture dia 17 com Flow & Zeo, Nana Torres e Touchtalk. Ouça aqui!

A mostrar que Londrina tem sim apreço pelo eletrônico de vanguarda, acontece dia 17, Sábado  a festa de 6 anos da Culture que movimenta a cena com Flow & Zeo, Nana Torres e Touchtalk. Conversamos com um dos fundadores, Rômulo Pierotti sobre a festa, a cena na cidade e o que está por vir

 

 

Por Nazen Carneiro

 

A Culture, como o nome já diz, é mais que um evento, é um movimento que representa uma cultura, a cultura eletrônica. Não foi fácil conquistar seis anos de vida numa cidade que editou por lei (link sobre a lei aqui) medidas restritivas contra as festas eletrônicas, mas eles conseguiram e no Sábado, dia 17 de março vão celebrar com convidados a altura!

 

A começar pelo casal 20 do Rio de Janeiro, Flow & Zeo. Ambos DJs Produtores com dedicação integral a música, já tem suas músicas tocando Brasil afora a mais de dez anos e nunca param. Suas produções vão das pistas para as passarelas e o cinema, como no caso do filme Paraísos Artificiais. Destaque para seu mais recente lançamento, a faixa Maresia, presente na compilação ‘Cocada Vol.1’, da Get Physical Music.

 

 

Nana Torres acrecenta ainda mais sabor carioca nessa festa com suas produções lançadas por importantes gravadoras e presentes nos charts de Kolombo, Amine Edge & Dance , DJ T  e Justin Martinl. Já Touchtalk chega para sacudir com seu tech house e vários hits conquistados numa longa carreira que remonta aos anos de 2004. Não menos importantes três dos expoentes na região também compõem o line up: ÆonV, Alex Nunes e Nes!

 

A Culture tem tradição em fazer boas festas na região. “Conforto, bom atendimento e  novas tecnologias são nossas marcas registradas. Aqui na região fomos os primeiros a propor o vídeo mapping, por exemplo…” afirma Rômulo Pierotti, um dos fundadores e produtor do evento. (veja entrevista ao final da matéria)

 

O evento acontece dia 17 de Março de 2018, sábado, no Buffet Stylo em Londrina com início as 23h.

 

        Serviço

        Culture 6 anos

        Data:                     17 de Março de 2018 – Sábado 23h

        Atrações:              Flow&Zeo, TouchTalk, Nana Torres, ÆonV, Alex Nunes e Nes!

        Local:                    Casa Stylo / Buffet Stylo – Estrada Antonio Pieroli, 150, 8 – Londrina PR

 

 

 

 

 

Conheça mais sobre os artistas

 

 

Image may contain: 2 people, people standing, cloud and outdoor

FLOW & ZEO

Com dedicação integral a música, tocando e produzindo em seu estúdio, firmaram uma sólida carreira internacional com apresentações em países como Alemanha, Portugal, Dinamarca, Suécia, Suíça, Reino Unido, Espanha, E.U.A., Croácia, México, Panamá, Colômbia e África do Sul.

Como produtores, tiveram sua primeira faixa “ Illusion” – lançada em 2003, com um vídeo clipe apresentado pela MTV. Desde então, vem lançando em labels renomados como Great Stuff, Nurvous, Electronique, Skint, Dear Deer, NastyFunk, Steyoyoke, Kling Klong, TB Records, Sprout, Warung Recordings, King Street, Hotfingers, 303Lovers etc, alcançando constantemente os top charts dos principais canais de venda.

No mundo da moda, compuseram uma faixa exclusiva para a marca “Farm”; uma compilação Downtempo para “Equatore”, e para “Limits”, a faixa “Fear Drop” produzida pelo duo, foi tema da coleção.

Duas de suas produções, “True Story” e “I Use to Say”, fizeram parte da trilha sonora do filme “Paraísos Artificiais” com direção de Marcos Prado, dos mesmos produtores de Tropa de Elite II e II.

 

No automatic alt text available.

 

NANA TORRES

Nana Torres, vencedora do prêmio DJ Revelação do Rio Music Conference 2013 e melhor DJ Mulher do Dj Sound Awards 2016 faz jus aos prêmios, se apresentou nos 4 cantos do país, além de 6 países da Europa ( Espanha, Alemanha, França, Dublin e Portugal) e uma apresentação histórica no festival Burning Man.

Com releases em importantes gravadoras e presente nos charts de grandes nomes como Kolombo, Amine Edge & Dance , DJ T , Justin Martin , entre outros.

Sempre arrancando suspiros e transparecendo em suas apresentações um ponto de vista único sobre a dance music, com grooves fortes, atmosfera profunda, dançantes e hipnotizantes !!

 

Image may contain: one or more people

 

TOUCHTALK

Original, versátil e contemporâneo: o projeto TouchTalk é formado por dois talentosos produtores brasileiros que ao decorrer de suas carreiras decidiram se unir para criarem juntos novas ideias em formato de música. Suas produções são o peso da sua marca, facilmente reconhecida e aceita pelo público.

Freaking” foi o primeiro release de 2015 pela norte americana Incorrect Music, gravadora referencia em musica underground com base em Chicago, tendo lançado artistas como: Solomun, Hot Since82, Vanilla Ace, Ramon Tapia, Lutzenkirchen, Whebba entre outros. Em menos de dez dias após o lançamento, Freakin” já se encontrava no ranking de vendas no gênero Tech-house, e despertou atenção de artistas como Luigi Rocca e Marco Lys, onde ambos utilizaram em seus charts recentes. Esta é apenas uma mostra do que a dupla prepara para o ano de 2015.

Artistas como Amine Edge & Dance, Booka Shade, Kolombo, Joyce Muniz, Kyle Watson , Du Serena, Gabe, ,Luigi Rocca, Marco Lys, Vintage Culture, Matt Fear, Marcello V.O.R entre outros, dão suporte a dupla utilizando suas musicas em seus dj sets e podcasts ao redor do globo.

 

Image may contain: 1 person, indoor

 

NES!

Alter-ego do DJ produtor londrinense Romulo Pierotti.

Fundador da agencia de djs e produtora de eventos Culture Management e também da gravadora culturemusic, iniciou sua carreira em 2008. Inicialmente especializado em sets de transição entre progressive trance/techno, atualmente toca vertentes conceituais de house music.

Quando integrante do Locomotion participou de grandes eventos no London Club (Londrina-PR), Sunset Session (Santa Maria –  RS), 00 (Rio de Janeiro – RJ) além do evento global pela paz, o  Earthdance, em Curitiba, entre outros e esteve no mesmo line-up que grandes nomes da música eletrônica mundial.

Seu sets prezam por melodias trabalhadas e grooves densos, buscando sempre grande dinâmica.

Com influência de gravadoras como Life & Death, No. 19 music, Minus e dirtybird; hora toca músicas lentas e introspectivas, hora toca músicas eufóricas e dançantes, criando uma atmosfera hipnótica e induzindo o público a participar de uma divertida história contada através da música eletrônica.

 

Image may contain: 1 person

 

Alex Nunes

 

É inegável que a música hoje em dia seja uma ferramenta utilizada para inúmeros meios do entretenimento. Quando você abre mão de alguns costumes para apresentar algo novo, você merece uma atenção especial! Conteúdos artísticos são expressões de um sentimento, atreladas a técnica e estudo.

Não apenas entreter, mas surpreender! Mostrar o novo e dedicar horas a uma apresentação singular. Produções de arranjo rico e técnico, apresentações de explosão e feeling, tudo isso caracteriza um artista experiente, e nada mais comum do que a apresentação ser uma experiência única e memorável.

 

Image may contain: 2 people

 

AeonV

 

 

Culture | Video Mapping Hauntes house. 2012, mapping feito por vigas (penta campeão mundial de vjs). O palco era uma casa mal assombrada. Festa a Fantasia com 8 mil pessoas

 

 

Vamos falar sobre a cena de Londrina?

Batemos um papo rápido e direto com Rômulo Pierotti que é fundador e produtor do evento que desafiou o sistema para levar a música eletrônica a outros patamares no norte do Paraná, mais precisamente Londrina. Terra de vários DJs e Produtores que estão levando essa cultura ao Brasil e ao mundo.

 

Eu lembro de quando vocês criaram a Culture, sei que é mais que uma marca, mas um conceito mesmo, de unir o visual com a música de qualidade… Mas quero saber de você, qual a missão da Culture? Para que ela foi criada?

A nossa missão inicial foi resgatar Londrina de um hiato em eventos que a cidade passava.  Uma lei municipal inconstitucional proibia a realização de praticamente qualquer evento fora dos clubs mas na cara e na coragem (e também com ótima assessoria jurídica) conseguimos dar o ponta pé inicial realizando a London Club no dia 12 de maio de 2012.

Apaixonados por música eletrônica e sempre lembrando dos tempos áureos que Londrina já havia presenciado sentíamos uma frustração enorme por ter de viajar para São Paulo, Curitiba ou Balneário Camboriu para apreciar uma festa decente. Com isso em mente sempre prezamos pelo conforto, bom atendimento, apresentação de novas tecnologias (fomos a primeira empresa da região a realizar projeções mapeadas, tornando-se uma de nossas “marcas registradas”) e claro,curadoria artística feita com muito carinho.

E depois de tantas dificuldades, o que é até certo ponto normal (exceto quando o poder público é o problema) O que mudou nestes seis anos de vida do projeto?

O que muda é o know-how. Como a maioria começamos como apaixonados e sonhadores, não conhecíamos as agencias, não tínhamos nenhum fornecedor, não tínhamos noção de como tirar um alvará por conta própria e torrávamos dinheiro a toa com assessoria de pessoas que faziam isso, enfim o que muda é o conhecimento.

Outra coisa importante é que aprendemos a lidar com a derrota de forma melhor, nem sempre as coisas saem como planejado, uma tempestade no dia do evento pode por água abaixo (desculpe o trocadilho) meses de trabalho. Como frustração cito nossa extinta chácara, onde tínhamos o objetivo de montar uma vila cultural ensinando arte para crianças carentes. Quando um objetivo dá errado o negócio é seguir em frente o mais rápido possível.

Por fim, o que mudou muito é nosso relacionamento com o poder público. Com trabalho sério e comprometido com todas normas de segurança e protocolos legais mostramos a eles que não é esse ou aquele estilo de música o causador de problemas. Somos extremamente bem recebidos em todos os órgãos.

Que bom! É muito importante este diálogo entre a sociedade civil, o poder público e os empresários e artistas , enfim… O que continua desde aquela época?

O que continua é o tesão pela música e o carinho com o público. Como um disse um dos maiores produtores de eventos do país “quem faz festa de música eletrônica é masoquista e tem que amar muito o que faz.” Confesso que me incomodo profundamente com mega-empresários que cagam para música eletrônica, mas a usam simplesmente como um produto descartável. Vejo muitos desses babacas com atitudes misóginas, homofóbicas e racistas, esquecendo de onde veio a música eletrônica (provavelmente não sabe ou não liga).

 

Neste sentido então, você acredita que o projeto teve impacto postivio na cena de Londrina, no pensamento das pessoas em relação a tudo isso? Como?

Isso é inegável. Nós quebramos o status quo monótono que havia na cidade. Os clubs da época só apresentavam atrações extremamente comerciais e após nosso surgimento viram que música eletrônica conceitual poderia ser rentável.

Como disse sobre nosso surgimento, fomos pioneiros em uma cena inexistente e servimos de exemplo para muitos outros núcleos e empresas  que também passaram a produzir festas. Como reflexo observamos o surgimento da melhor safra de artistas da cidade.

Além das festas também entendemos a formação profissional como um dos pilares de qualquer cena. Nesse sentido trouxemos as duas maiores escolas do Brasil, Yellow e Aimec, para ministrar cursos na cidade, sempre de forma gratuita. Em parceria com o Christ e o pessoal da yellow realizamos a Concept, uma conferencia de 3 dias com alguns dos maiores nomes do Brasil em suas áreas.

 

 

 

” Escolhemos as músicas e artistas que gostamos, divulgamos os projetos em que acreditamos. “

.

_______________________

” A cultura eletrônica e o mundo do entretenimento vistos através de artigos, matérias e entrevistas com artistas, produtores e diversos profissionais chave do Brasil e do Mundo.

TUDOBEATS é uma marca da NZPR.

.

Relações Públicas para a Indústria do Entretenimento



As mais lidas

To Top