REVIEW

Review: 2017 e a Última Colours do Ano

 

Chris Liebing, Danny Daze, Octave One, Lou Lou Players, Kolombo... Em 2017 mais uma vez a Colours foi um dos destaques entre os eventos de música eletrônica no Brasil por sua regularidade e qualidade dos line ups, mas sobretudo por incluir definitivamente a região de Caxias do Sul no roteiro dos grandes artistas nacionais e internacionais.

O capitão da nave, Fran Bortolossi neste ano também estreou na Jovem Pan, com o programa Na Balada, e se prepara para o Warung Tour Atlantida, uma parceria entre Colours e a Levels.

Mas vamos falar da última edição da Colours , que rolou no já tradicional Jockey Clube de Caxias com os convidados  Sabb, Pele & Shawnecy, Dashdot, Boghosian, Fran Bortolossi, ZAC, Juan Rodrigues, Lee Batista, Elieser Paze, Olivers, Juliano Cortiana, Alberto Biasio

Para a tarefa de trazer para nós como foi a última edição desta festa, o Tudobeats queria alguém do público que tivesse ido em quase todos os últimos eventos da Colours para dar sua opinião e o membro legítimo escolhido entre comunidade eletrônica de Caxias foi: Jovani Kaczalla.

 

Image may contain: 5 people, people smiling, crowd

Foto: Colours 207 / Juliano Conci

 

 por Jovani Kaczalla

 

Gostei bastante do warmp up feito pelo Fran Bortolossi e Juan Rodrigues, foi um warm up com classe. Apresentação de Boghoshian me surpreendeu e foi uma das que mais gostei. A apresentação de Sabb foi boa mas eu particularmente gostei mais da apresentação feita por ele na edição “Colours 8 “Anos em que ele se apresentou pela primeira vez.

Dashdot é um caso à parte, pois eu curto muito o som deles; Tech House que não tem como ficar parado junto com o nascer do sol. ZAC, arrisco dizer que foi o nome da festa. Na minha visão, mesmo sendo o último a tocar… pegar a pista (teoricamente) ‘cansada’, o ZACnão deixou ninguém ir embora e contagiou com seu som pegado que variou entre o House, Tech House e Techno. Foi incrível o set que ele fez.

 

“Cheguei no evento lá por meia noite. O line era muito bom e quis ver desde o começo. Mal sabia eu que sairia da Colours as nove e meia da manhã tocando ZAC.”

Image may contain: one or more people and close-up

Foto: Colours 207 / Juliano Conci

.

 

Ao meu ver (a estrutura) deixou nada a desejar, estava tudo organizado, seguranças, estava com um espaço ótimo não estava com lotação máxima. Fazendo que se pudesse circular com facilidade estava com uma ventilação boa no setor de backstage, o dia estava bem quente a abafado, mas a estrutura disponibilizada pela Colours suprimiu muito bem a necessidade no quesito calor. A estrutura de som foi um caso à parte teve a estreia do sistema de som da JBL Vertec, muito bom por sinal, a iluminação foi padrão com Lasers, LEDs, fumaça.

Sou amante de música eletrônica e recebi o convite de vários amigos para conhecer a Colours cerca de 1 ano e meio atrás quando teve a edição Colours Spring Edition. Desde então fui em todas, a exceção da edição Black and White. Na última do ano, sem dúvida o sistema de som e organização do evento foram excelentes entretanto o atendimento dos bares pelo sistema demorava.

Sendo um evento itinerante de música eletrônica do Rio Grande do Sul, é sempre um prazer prestigiar os DJs e os amigos além de, claro, a boa música. Sempre digo que a Colours é Colours, quem vai uma vez não consegue deixar de ir, pois é um lugar onde nos sentimos bem.

 

Image may contain: text

 

” Escolhemos as músicas e artistas que gostamos, divulgamos os projetos em que acreditamos. “

 

_______________________

” A cultura eletrônica e o mundo do entretenimento vistos através de artigos, matérias e entrevistas com artistas, produtores e diversos profissionais chave do Brasil e do Mundo.

.

Relações Públicas para a Indústria do Entretenimento

.



As mais lidas

To Top